sábado, 28 de abril de 2012

O que Podemos Fazer pelo Kevin?

Relacionamento de Mães e Filhos

O nome da mãe do Kevin não podia ser mais adequado: Eva. Lembrar da “primeira mãe”, progenitora de Caim e Abel, torna mais fácil a identificação de Eva Katchadourian como símbolo das dificuldades que enfrentamos em nossos relacionamentos com os filhos. Não basta amá-los, querer o seu bem, precisamos acertar todo dia. 

Se fôssemos perfeitas, bem-humoradas, tranquilas, generosas, abertas ao diálogo, sempre disponíveis para acolher e só corrigir no tom e na medida certa, a vida seria mais fácil para todos. O mundo seria o paraíso. Talvez nem houvesse Cains e Kevins! 

Mas não fomos criadas dessa maneira, tendemos a repetir os erros familiares e inventar uns outros. A luta nossa de cada dia é combater sem trégua os próprios maus hábitos e temperamento. Melhorar como pessoa é nossa primeira missão. 

No filme de Lynne Ramsay, Kevin parecia amar o pai e odiar a mãe. Ao final viu-se que não era bem assim. Se não eliminou a mãe é porque era aquela que escolheu como interlocutora e platéia, aquela que procurava desvendá-lo. Os outros não significavam nada para Kevin. Isolado, enrolado em seus pensamentos e sentimento de soberba, pensava entender tudo e ver o mundo pela única ótica possível. Preso, provavelmente apanhando e sofrendo na prisão, já não estava tão seguro do acerto de seu raciocínio. 

Observar, ninar, ouvir, brincar, partilhar nosso mundo interior, orientar nos estudos, exigir, inspirar e corrigir os filhos, é tudo o que podemos fazer. Além, é claro, de rezar sempre por eles. Foi alguém muito esperto quem disse: “Mães de joelho, filhos de pé”. A oração nos acalma e realiza alguns milagres! Certamente é o que pode nos trazer serenidade e inspiração.

2 comentários:

Felippe de Oliveira disse...

Querida irmã, o filme é tenso e prende o espectador até o fim. Não daria as 3 estrelas, pois senti falta de mais dados para entendermos o Kevin. Bjk do mano

Stella disse...

Concordo Felippe, o Kevin precisava de mais explicações. Nem toda criança mimada que tem dificuldades de se relacionar se torna psicopata. Um dos melhores filmes para exemplificar a gênese da doença mental é "Spider", com Ralph Fiennes. Pesado mas muito bom!

A 3ª estrela do Kevin talvez possa ser atribuída a minha satisfação por ver um filme de gabarito depois de uma série de experiências pouco inspiradas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Forca

Fim do Silêncio ou Grito Silencioso

Mais Vida