sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Embrião não é um dedão!

O feto não é um prolongamento do corpo da mãe. Tem seu código genético próprio. Depende de suporte alimentar, entre outros, da mesma forma que precisará ao nascer. Ninguém imagina eliminar uma criança de 1 ano, por conta dos trabalhos e custos que gera para a família. E somos fartamente recompensados com a alegria, novidades e carinho.

O "direito ao próprio corpo" não pode aniqüilar o corpo do outro. Gravidez não é caso para legítima defesa. As idéias que geram essa "busca da própria felicidade", ignorando o próximo, semeiam tristeza e niilismo crescente nas sociedades que escutam essa pregação trágica. Difundir o respeito à vida humana, sob qualquer forma, é mais saudável e digno.
Hoje, o médico Arnaldo Vianna, deputado federal pelo PDT do RJ, escreveu artigo no Globo explicando fatos importantes e pouco divulgados sobre o aborto. Não será com sua descriminalização que as meninas entre 10 e 14 anos escaparão da gravidez precoce, por conta da exacerbação da sexualidade, induzida em nossa cultura atual. Sugere que o Programa Bolsa Família incorpore palestras sobre controle da natalidade. Vale a leitura.

2 comentários:

Anônimo disse...

Magnífico teu texto! Não gostarias de postá-lo no nosso blog Aborto? Poderias assiná-lo, aumentando o n° dos depoimentos. Adoraria ver teu nome reforçando a campanha pela Vida. Beijos. ZM

stella halley disse...

Claro, gostaria muito, mas como?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Fim do Silêncio ou Grito Silencioso

Mais Vida