domingo, 28 de julho de 2013

JMJ2013 - Homilia Papa Francisco Missa em Copacabana

Homilia do Papa Francisco durante Missa em Copacabana

Queridos irmãos e irmãs,
Queridos jovens!

«Ide e fazei discípulos entre todas as nações». Com estas palavras, Jesus se dirige a cada um de vocês, dizendo: «Foi bom participar nesta Jornada Mundial da Juventude, vivenciar a fé junto com jovens vindos dos quatro cantos da terra, mas agora você deve ir e transmitir esta experiência aos demais». Jesus lhe chama a ser um discípulo em missão! Hoje, à luz da Palavra de Deus que acabamos de ouvir, o que nos diz o Senhor? O que nos diz o Senhor?Três palavras: Ide, sem medo, para servir.

1. Ide. Durante estes dias, aqui no Rio, vocês puderam fazer a bela experiência de encontrar Jesus e de encontrá-lo juntos, sentindo a alegria da fé. Mas a experiência deste encontro não pode ficar trancafiada na vida de vocês ou no pequeno grupo da paróquia, do movimento, da comunidade de vocês. Seria como cortar o oxigênio a uma chama que arde. A fé é uma chama que se faz tanto mais viva quanto mais é partilhada, transmitida, para que todos possam conhecer, amar e professar que Jesus Cristo é o Senhor da vida e da história (cf. Rm 10,9).

Pero ¡cuidado! Jesús no ha dicho: si quieren, si tienen tiempo vayan, sino que dijo: «Vayan y hagan discípulos a todos los pueblos». Compartir la experiencia de la fe, dar testimonio de la fe, anunciar el evangelio es el mandato que el Señor confía a toda la Iglesia, también a ti; es un mandato que no nace de la voluntad de dominio, de la voluntad de poder, sino de la fuerza del amor, del hecho que Jesús ha venido antes a nosotros y nos ha dado, no nos dio algo de sí, sino se nos dio todo él, él ha dado su vida para salvarnos y mostrarnos el amor y la misericordia de Dios. Jesús no nos trata como a esclavos, sino como a personas libres, amigos, hermanos; y no sólo nos envía, sino que nos acompaña, está siempre a nuestro lado en esta misión de amor.

Para onde Jesus nos manda? Não há fronteiras, não há limites: envia-nos para todas as pessoas. O Evangelho é para todos, e não apenas para alguns. Não é apenas para aqueles que parecem a nós mais próximos, mais abertos, mais acolhedores. É para todas as pessoas. Não tenham medo de ir e levar Cristo para todos os ambientes, até as periferias existenciais, incluindo quem parece mais distante, mais indiferente. O Senhor procura a todos, quer que todos sintam o calor da sua misericórdia, do seu amor.

De forma especial, queria que este mandato de Cristo -“Ide” - ressoasse em vocês, jovens da Igreja na América Latina, comprometidos com a Missão Continental promovida pelos Bispos. O Brasil, a América Latina, o mundo precisa de Cristo! Paulo exclama: «Ai de mim se eu não pregar o evangelho!» (1Co 9,16). Este Continente recebeu o anúncio do Evangelho, que marcou o seu caminho e produziu muito fruto. Agora este anúncio é confiado também a vocês, para que ressoe com uma força renovada. A Igreja precisa de vocês, do entusiasmo, da criatividade e da alegria que lhes caracterizam! Um grande apóstolo do Brasil, o Bem-aventurado José de Anchieta, partiu em missão quando tinha apenas dezenove anos! Sabem qual é o melhor instrumento para evangelizar os jovens? Outro jovem! Este é o caminho a ser percorrido por vocès!

2. Sin miedo. Puede que alguno piense: «No tengo ninguna preparación especial, ¿cómo puedo ir y anunciar el evangelio?». Querido amigo, tu miedo no se diferencia mucho del de Jeremías, escuchamos en la lectura recién, cuando fue llamado por Dios para ser profeta: «¡Ay, Señor, Dios mío! Mira que no sé hablar, que sólo soy un niño». También Dios les dice a ustedes lo que le dijo a Jeremías: «No les tengas miedo, que yo estoy contigo para librarte» (Jr 1,6.8). Él está con nosotros.

«No tengan miedo». Cuando vamos a anunciar a Cristo, es él mismo el que va por delante y nos guía. Al enviar a sus discípulos en misión, ha prometido: «Yo estoy con ustedes todos los días» (Mt 28,20). Y esto es verdad también para nosotros. Jesús no nos deja solos, nunca deja solo a nadie. Nos acompaña siempre.

Además, Jesús no dijo: «Andá», sino «Vayan»: somos enviados juntos. Queridos jóvenes, sientan la compañía de toda la Iglesia, y también la comunión de los santos, en esta misión. Cuando juntos hacemos frente a los desafíos, entonces somos fuertes, descubrimos recursos que pensábamos que no teníamos. Jesús no ha llamado a los apóstoles para que vivan aislados, los ha llamado a formar un grupo, una comunidad. Quisiera dirigirme también a ustedes, queridos sacerdotes que concelebran conmigo esta eucaristía: han venido a acompañar a sus jóvenes, y es bonito compartir esta experiencia de fe. Seguro que les ha rejuvenecido a todos. El joven contagia juventud. Pero es sólo una etapa en el camino. Por favor, sigan acompañándolos con generosidad y alegría, ayúdenlos a comprometerse activamente en la Iglesia; que nunca se sientan solos. Y aquí quiero agradecer de corazón a los grupos de pastoral juvenil, a los movimientos y nuevas comunidades que acompañan a los jóvenes en su experiencia de ser Iglesia, tan creativos y tan audaces. ¡Sigan adelante y no tengan miedo!

3. A última palavra: para servir. No início do salmo proclamado, escutamos estas palavras: «Cantai ao Senhor Deus um canto novo» (Sl 95, 1). Qual é este canto novo? Não são palavras, nem uma melodia, mas é o canto da nossa vida, é deixar que a nossa vida se identifique com a vida de Jesus, é ter os seus sentimentos, os seus pensamentos, as suas ações. E a vida de Jesus é uma vida para os demais, a vida de Jesus é uma vida para os demais. É uma vida de serviço.

São Paulo, na leitura que ouvimos há pouco, dizia: «Eu me tornei escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível» (1 Cor 9, 19). Para anunciar Jesus, Paulo fez-se «escravo de todos». Evangelizar significa testemunhar pessoalmente o amor de Deus, significa superar os nossos egoísmos, significa servir, inclinando-nos para lavar os pés dos nossos irmãos, tal como fez Jesus.

Tres palabras: Vayan, sin miedo, para servir. Vayan, sin miedo, para servir. Siguiendo estas tres palabras experimentarán que quien evangeliza es evangelizado, quien transmite la alegría de la fe, recibe más alegría. Queridos jóvenes, cuando vuelvan a sus casas, no tengan miedo de ser generosos con Cristo, de dar testimonio del evangelio. En la primera lectura, cuando Dios envía al profeta Jeremías, le da el poder para «arrancar y arrasar, para destruir y demoler, para reedificar y plantar» (Jr 1,10). También es así para ustedes. Llevar el evangelio es llevar la fuerza de Dios para arrancar y arrasar el mal y la violencia; para destruir y demoler las barreras del egoísmo, la intolerancia y el odio; para edificar un mundo nuevo. Queridos jóvenes: Jesucristo cuenta con ustedes. La Iglesia cuenta con ustedes. El Papa cuenta con ustedes. Que María, Madre de Jesús y Madre nuestra, los acompañe siempre con su ternura: «Vayan y hagan discípulos a todos los pueblos». Amén.


sábado, 27 de julho de 2013

JMJ2013 - Papa Francisco no Municipal

Discurso do Papa Francisco no Teatro Municipal


Excelências, Senhoras e Senhores!

Agradeço a Deus pela possibilidade de me encontrar com tão respeitável representação dos responsáveis políticos e diplomáticos, culturais e religiosos, acadêmicos e empresariais deste Brasil imenso. Saúdo cordialmente a todos e lhes expresso o meu reconhecimento.

Queria lhes falar usando a bela língua portuguesa de vocês mas, para poder me expressar melhor manifestando o que trago no coração, prefiro falar em castelhano. Peço-vos a cortesia de me perdoar!

Agradeço as amáveis palavras de boas vindas e de apresentação de Dom Orani e do jovem Walmyr Júnior. Nas senhoras e nos senhores, vejo a memória e a esperança: a memória do caminho e da consciência da sua Pátria e a esperança que esta, sempre aberta à luz que irradia do Evangelho de Jesus Cristo, possa continuar a desenvolver-se no pleno respeito dos princípios éticos fundados na dignidade transcendente da pessoa.

Todos aqueles que possuem um papel de responsabilidade, em uma Nação, são chamados a enfrentar o futuro "com os olhos calmos de quem sabe ver a verdade", como dizia o pensador brasileiro Alceu Amoroso Lima ["Nosso tempo", in: A vida sobrenatural e o mundo moderno (Rio de Janeiro 1956), 106]. Queria considerar três aspectos deste olhar calmo, sereno e sábio: primeiro, a originalidade de uma tradição cultural; segundo, a responsabilidade solidária para construir o futuro; e terceiro, o diálogo construtivo para encarar o presente.

1. É importante, antes de tudo, valorizar a originalidade dinâmica que caracteriza a cultura brasileira, com a sua extraordinária capacidade para integrar elementos diversos. O sentir comum de um povo, as bases do seu pensamento e da sua criatividade, os princípios fundamentais da sua vida, os critérios de juízo sobre as prioridades, sobre as normas de ação, assentam numa visão integral da pessoa humana. Esta visão do homem e da vida, tal como a fez própria o povo brasileiro, muito recebeu da seiva do Evangelho através da Igreja Católica: primeiramente a fé em Jesus Cristo, no amor de Deus e a fraternidade com o próximo. Mas a riqueza desta seiva deve ser plenamente valorizada! Ela pode fecundar um processo cultural fiel à identidade brasileira e construtor de um futuro melhor para todos. Assim se expressou o amado Papa Bento XVI, no discurso de abertura da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, em Aparecida.

Fazer que a humanização integral e a cultura do encontro e do relacionamento cresçam é o modo cristão de promover o bem comum, a felicidade de viver. E aqui convergem a fé e a razão, a dimensão religiosa com os diversos aspectos da cultura humana: arte, ciência, trabalho, literatura... O cristianismo une transcendência e encarnação; sempre revitaliza o pensamento e a vida, frente a desilusão e o desencanto que invadem os corações e saltam para a rua.

2. O segundo elemento que queria tocar é a responsabilidade social. Esta exige um certo tipo de paradigma cultural e, consequentemente, de política. Somos responsáveis pela formação de novas gerações, capacitadas na economia e na política, e firmes nos valores éticos. O futuro exige de nós uma visão humanista da economia e uma política que realize cada vez mais e melhor a participação das pessoas, evitando elitismos e erradicando a pobreza. Que ninguém fique privado do necessário, e que a todos sejam asseguradas dignidade, fraternidade e solidariedade: esta é a via a seguir. Já no tempo do profeta Amós era muito forte a advertência de Deus: «Eles vendem o justo por dinheiro, o indigente, por um par de sandálias; esmagam a cabeça dos fracos no pó da terra e tornam a vida dos oprimidos impossível» (Am 2, 6-7). Os gritos por justiça continuam ainda hoje.

Quem detém uma função de guia deve ter objetivos muito concretos, e buscar os meios específicos para consegui-los. Pode haver, porém, o perigo da desilusão, da amargura, da indiferença, quando as aspirações não se cumprem. A virtude dinâmica da esperança incentiva a ir sempre mais longe, a empregar todas as energias e capacidades a favor das pessoas para quem se trabalha, aceitando os resultados e criando condições para descobrir novos caminhos, dando-se mesmo sem ver resultados, mas mantendo viva a esperança.

A liderança sabe escolher a mais justa entre as opções, após tê-las considerado, partindo da própria responsabilidade e do interesse pelo bem comum; esta é a forma para chegar ao centro dos males de uma sociedade e vencê-los com a ousadia de ações corajosas e livres. No exercício da nossa responsabilidade, sempre limitada, é importante abarcar o todo da realidade, observando, medindo, avaliando, para tomar decisões na hora presente, mas estendendo o olhar para o futuro, refletindo sobre as consequências de tais decisões. Quem atua responsavelmente, submete a própria ação aos direitos dos outros e ao juízo de Deus. Este sentido ético aparece, nos nossos dias, como um desafio histórico sem precedentes. Além da racionalidade científica e técnica, na atual situação, impõe-se o vínculo moral com uma responsabilidade social e profundamente solidária.

3. Para completar o "olhar" que me propus, além do humanismo integral, que respeite a cultura original, e da responsabilidade solidária, termino indicando o que tenho como fundamental para enfrentar o presente: o diálogo construtivo. Entre a indiferença egoísta e o protesto violento, há uma opção sempre possível: o diálogo. O diálogo entre as gerações, o diálogo com o povo, a capacidade de dar e receber, permanecendo abertos à verdade. Um país cresce, quando dialogam de modo construtivo as suas diversas riquezas culturais: cultura popular, cultura universitária, cultura juvenil, cultura artística e tecnológica, cultura econômica e cultura familiar e cultura da mídia. É impossível imaginar um futuro para a sociedade, sem uma vigorosa contribuição das energias morais numa democracia que evite o risco de ficar fechada na pura lógica da representação dos interesses constituídos. Será fundamental a contribuição das grandes tradições religiosas, que desempenham um papel fecundo de fermento da vida social e de animação da democracia. Favorável à pacífica convivência entre religiões diversas é a laicidade do Estado que, sem assumir como própria qualquer posição confessional, respeita e valoriza a presença do fator religioso na sociedade, favorecendo as suas expressões concretas.

Quando os líderes dos diferentes setores me pedem um conselho, a minha resposta é sempre a mesma: diálogo, diálogo, diálogo. A única maneira para uma pessoa, uma família, uma sociedade crescer, a única maneira para fazer avançar a vida dos povos é a cultura do encontro; uma cultura segundo a qual todos têm algo de bom para dar, e todos podem receber em troca algo de bom. O outro tem sempre algo para nos dar, desde que saibamos nos aproximar dele com uma atitude aberta e disponível, sem preconceitos. Só assim pode crescer o bom entendimento entre as culturas e as religiões, a estima de umas pelas outras livre de suposições gratuitas e no respeito pelos direitos de cada uma. Hoje, ou se aposta na cultura do encontro, ou todos perdem; percorrer a estrada justa torna o caminho fecundo e seguro.

Excelências, Senhoras e Senhores!

Agradeço-lhes pela atenção. Acolham estas palavras como expressão da minha solicitude de Pastor da Igreja e do amor que nutro pelo povo brasileiro. A fraternidade entre os homens e a colaboração para construir uma sociedade mais justa não constituem uma utopia, mas são o resultado de um esforço harmônico de todos em favor do bem comum. Encorajo os senhores no seu empenho em favor do bem comum, que exige da parte de todos sabedoria, prudência e generosidade.

Confio-lhes ao Pai do Céu, pedindo-lhe, por intercessão de Nossa Senhora Aparecida, que cumule de seus dons a cada um dos presentes, suas respectivas famílias e comunidades humanas de trabalho e, de coração, a todos concedo a minha Bênção. (Globo)


sexta-feira, 26 de julho de 2013

JMJ2013 - Homilia do Papa Francisco em Manguinhos

Papa Francisco visita comunidade carente em Varginha

(Acidigital)
Queridos irmãos e irmãs,

Que bom poder estar com vocês aqui! Desde o início, quando planejava a minha visita ao Brasil, o meu desejo era poder visitar todos os bairros deste País. Queria bater em cada porta, dizer “bom dia”, pedir um copo de água fresca, beber um "cafezinho", falar como a amigos de casa, ouvir o coração de cada um, dos pais, dos filhos, dos avós... Mas o Brasil é tão grande! Não é possível bater em todas as portas! Então escolhi vir aqui, visitar a Comunidade de vocês que hoje representa todos os bairros do Brasil. Como é bom ser bem acolhido, com amor, generosidade, alegria! Basta ver como vocês decoraram as ruas da Comunidade; isso é também um sinal do carinho que nasce do coração de vocês, do coração dos brasileiros, que está em festa! Muito obrigado a cada um de vocês pela linda acolhida! Agradeço a Dom Orani Tempesta e ao casal Rangler e Joana pelas suas belas palavras.

1. Desde o primeiro instante em que toquei as terras brasileiras e também aqui junto de vocês, me sinto acolhido. E é importante saber acolher; é algo mais bonito que qualquer enfeite ou decoração. Isso é assim porque quando somos generosos acolhendo uma pessoa e partilhamos algo com ela – um pouco de comida, um lugar na nossa casa, o nosso tempo - não ficamos mais pobres, mas enriquecemos. Sei bem que quando alguém que precisa comer bate na sua porta, vocês sempre dão um jeito de compartilhar a comida: como diz o ditado, sempre se pode “colocar mais água no feijão”! E vocês fazem isto com amor, mostrando que a verdadeira riqueza não está nas coisas, mas no coração! E povo brasileiro, sobretudo as pessoas mais simples, pode dar para o mundo uma grande lição de solidariedade, que é uma palavra frequentemente esquecida ou silenciada, porque é incômoda. Queria lançar um apelo a todos os que possuem mais recursos, às autoridades públicas e a todas as pessoas de boa vontade comprometidas com a justiça social: Não se cansem de trabalhar por um mundo mais justo e mais solidário! Ninguém pode permanecer insensível às desigualdades que ainda existem no mundo! Cada um, na medida das próprias possibilidades e responsabilidades, saiba dar a sua contribuição para acabar com tantas injustiças sociais! Não é a cultura do egoísmo, do individualismo, que frequentemente regula a nossa sociedade, aquela que constrói e conduz a um mundo mais habitável, mas sim a cultura da solidariedade; ver no outro não um concorrente ou um número, mas um irmão. Quero encorajar os esforços que a sociedade brasileira tem feito para integrar todas as partes do seu corpo, incluindo as mais sofridas e necessitadas, através do combate à fome e à miséria. Nenhum esforço de “pacificação” será duradouro, não haverá harmonia e felicidade para uma sociedade que ignora, que deixa à margem, que abandona na periferia parte de si mesma. Uma sociedade assim simplesmente empobrece a si mesma; antes, perde algo de essencial para si mesma. Lembremo-nos sempre: somente quando se é capaz de compartilhar é que se enriquece de verdade; tudo aquilo que se compartilha se multiplica! A medida da grandeza de uma sociedade é dada pelo modo como esta trata os mais necessitados, quem não tem outra coisa senão a sua pobreza!

2. Queria dizer-lhes também que a Igreja, «advogada da justiça e defensora dos pobres diante das intoleráveis desigualdades sociais e econômicas, que clamam ao céu» (Documento de Aparecida, 395), deseja oferecer a sua colaboração em todas as iniciativas que signifiquem um autêntico desenvolvimento do homem todo e de todo o homem. Queridos amigos, certamente é necessário dar o pão a quem tem fome; é um ato de justiça. Mas existe também uma fome mais profunda, a fome de uma felicidade que só Deus pode saciar. Não existe verdadeira promoção do bem-comum, nem verdadeiro desenvolvimento do homem, quando se ignoram os pilares fundamentais que sustentam uma nação, os seus bens imateriais: a vida, que é dom de Deus, um valor que deve ser sempre tutelado e promovido; a família, fundamento da convivência e remédio contra a desagregação social; a educação integral, que não se reduz a uma simples transmissão de informações com o fim de gerar lucro; a saúde, que deve buscar o bem-estar integral da pessoa, incluindo a dimensão espiritual, que é essencial para o equilíbrio humano e uma convivência saudável; a segurança, na convicção de que a violência só pode ser vencida a partir da mudança do coração humano.

Queria dizer uma última coisa. Aqui, como em todo o Brasil, há muitos jovens. Vocês, queridos jovens, possuem uma sensibilidade especial frente às injustiças, mas muitas vezes se desiludem com notícias que falam de corrupção, com pessoas que, em vez de buscar o bem comum, procuram o seu próprio benefício. Também para vocês e para todas as pessoas repito: nunca desanimem, não percam a confiança, não deixem que se apague a esperança. A realidade pode mudar, o homem pode mudar. Procurem ser vocês os primeiros a praticar o bem, a não se acostumarem ao mal, mas a vencê-lo. A Igreja está ao lado de vocês, trazendo-lhes o bem precioso da fé, de Jesus Cristo, que veio «para que todos tenham vida, e vida em abundância» (Jo 10,10).

Hoje a todos vocês, especialmente aos moradores dessa Comunidade de Varginha, quero dizer: Vocês não estão sozinhos, a Igreja está com vocês, o Papa está com vocês. Levo a cada um no meu coração e faço minhas as intenções que vocês carregam no seu íntimo: os agradecimentos pelas alegrias, os pedidos de ajuda nas dificuldades, o desejo de consolação nos momentos de tristeza e sofrimento. Tudo isso confio à intercessão de Nossa Senhora Aparecida, Mãe de todos os pobres do Brasil, e com grande carinho lhes concedo a minha Bênção.


quinta-feira, 25 de julho de 2013

JMJ2013 - Vigilia e Missa de Envio Transferidas para Copacabana

uol
Devido à chuva forte que cai sobre o Rio de Janeiro há dias, a Vigília com os jovens e a Missa de Envio deixarão de ser realizadas em Campus Fidei e serão transferidas para a Praia de Copacabana. Bom para os idosos, que não precisarão andar os 13 km em Guaratiba! Acho que agora eu vou!

quarta-feira, 24 de julho de 2013

JMJ2013 - Homilia do Papa Francisco em Aparecida

Venerados irmãos no episcopado e no sacerdócio,
Queridos irmãos e irmãs!

Quanta alegria me dá vir à casa da Mãe de cada brasileiro, o Santuário de Nossa Senhora Aparecida. No dia seguinte à minha eleição como Bispo de Roma fui visitar a Basílica de Santa Maria Maior, para confiar a Nossa Senhora o meu ministério de Sucessor de Pedro. Hoje, eu quis vir aqui para suplicar à Maria, nossa Mãe, o bom êxito da Jornada Mundial da Juventude e colocar aos seus pés a vida do povo latino-americano.

Queria dizer-lhes, primeiramente, uma coisa. Neste Santuário, seis anos atrás, quando aqui se realizou a V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe, pude dar-me conta pessoalmente de um fato belíssimo: ver como os Bispos – que trabalharam sobre o tema do encontro com Cristo, discipulado e missão – eram animados, acompanhados e, em certo sentido, inspirados pelos milhares de peregrinos que vinham diariamente confiar a sua vida a Nossa Senhora: aquela Conferência foi um grande momento de vida de Igreja. E, de fato, pode-se dizer que o Documento de Aparecida nasceu justamente deste encontro entre os trabalhos dos Pastores e a fé simples dos romeiros, sob a proteção maternal de Maria. A Igreja, quando busca Cristo, bate sempre à casa da Mãe e pede: “Mostrai-nos Jesus”. É de Maria que se aprende o verdadeiro discipulado. E, por isso, a Igreja sai em missão sempre na esteira de Maria.

Assim, de cara à Jornada Mundial da Juventude que me trouxe até o Brasil, também eu venho hoje bater à porta da casa de Maria, que amou e educou Jesus, para que ajude a todos nós, os Pastores do Povo de Deus, aos pais e aos educadores, a transmitir aos nossos jovens os valores que farão deles construtores de um País e de um mundo mais justo, solidário e fraterno. Para tal, gostaria de chamar a atenção para três simples posturas: Conservar a esperança; deixar-se surpreender por Deus; viver na alegria.

1. Conservar a esperança. A segunda leitura da Missa apresenta uma cena dramática: uma mulher – figura de Maria e da Igreja – sendo perseguida por um Dragão – o diabo - que quer lhe devorar o filho. A cena, porém, não é de morte, mas de vida, porque Deus intervém e coloca o filho a salvo. Quantas dificuldades na vida de cada um, no nosso povo, nas nossas comunidades, mas, por maiores que possam parecer, Deus nunca deixa que sejamos submergidos.

Frente ao desânimo que poderia aparecer na vida, em quem trabalha na evangelização ou em quem se esforça por viver a fé como pai e mãe de família, quero dizer com força: Tenham sempre no coração esta certeza! Deus caminha a seu lado, nunca lhes deixa desamparados! Nunca percamos a esperança! Nunca deixemos que ela se apague nos nossos corações! O “dragão”, o mal, faz-se presente na nossa história, mas ele não é o mais forte. Deus é o mais forte, e Deus é a nossa esperança! É verdade que hoje, mais ou menos todas as pessoas, e também os nossos jovens, experimentam o fascínio de tantos ídolos que se colocam no lugar de Deus e parecem dar esperança: o dinheiro, o poder, o sucesso, o prazer.

Frequentemente, uma sensação de solidão e de vazio entra no coração de muitos e conduz à busca de compensações, destes ídolos passageiros. Queridos irmãos e irmãs, sejamos luzeiros de esperança! Tenhamos uma visão positiva sobre a realidade.

Encorajemos a generosidade que caracteriza os jovens, acompanhando-lhes no processo de se tornarem protagonistas da construção de um mundo melhor: eles são um motor potente para a Igreja e para a sociedade. Eles não precisam só de coisas, precisam sobretudo que lhes sejam propostos aqueles valores imateriais que são o coração espiritual de um povo, a memória de um povo. Neste Santuário, que faz parte da memória do Brasil, podemos quase que apalpá-los: espiritualidade, generosidade, solidariedade, perseverança, fraternidade, alegria; trata-se de valores que encontram a sua raiz mais profunda na fé cristã.

2. A segunda postura: Deixar-se surpreender por Deus. Quem é homem e mulher de esperança – a grande esperança que a fé nos dá – sabe que, mesmo em meio às dificuldades, Deus atua e nos surpreende. A história deste Santuário serve de exemplo: três pescadores, depois de um dia sem conseguir apanhar peixes, nas águas do Rio Parnaíba, encontram algo inesperado: uma imagem de Nossa Senhora da Conceição. Quem poderia imaginar que o lugar de uma pesca infrutífera, tornar-se-ia o lugar onde todos os brasileiros podem se sentir filhos de uma mesma Mãe? Deus sempre surpreende, como o vinho novo, no Evangelho que ouvimos. Deus sempre nos reserva o melhor. Mas pede que nos deixemos surpreender pelo seu amor, que acolhamos as suas surpresas. Confiemos em Deus! Longe d’Ele, o vinho da alegria, o vinho da esperança, se esgota. Se nos aproximamos d’Ele, se permanecemos com Ele, aquilo que parece água fria, aquilo que é dificuldade, aquilo que é pecado, se transforma em vinho novo de amizade com Ele.

3. A terceira postura: Viver na alegria. Queridos amigos, se caminhamos na esperança, deixando-nos surpreender pelo vinho novo que Jesus nos oferece, há alegria no nosso coração e não podemos deixar de ser testemunhas dessa alegria. O cristão é alegre, nunca está triste. Deus nos acompanha. Temos uma Mãe que sempre intercede pela vida dos seus filhos, por nós, como a rainha Ester na primeira leitura. Jesus nos mostrou que a face de Deus é a de um Pai que nos ama. O pecado e a morte foram derrotados. O cristão não pode ser pessimista! Não pode ter uma cara de quem parece num constante estado de luto. Se estivermos verdadeiramente enamorados de Cristo e sentirmos o quanto Ele nos ama, o nosso coração se “incendiará” de tal alegria que contagiará quem estiver ao nosso lado. Como dizia Bento XVI: «O discípulo sabe que sem Cristo não há luz, não há esperança, não há amor, não há futuro” 

Queridos amigos, viemos bater à porta da casa de Maria. Ela abriu-nos, fez-nos entrar e nos aponta o seu Filho. Agora Ela nos pede: «Fazei o que Ele vos disser». Sim, Mãe nossa, nos comprometemos a fazer o que Jesus nos disser! E o faremos com esperança, confiantes nas surpresas de Deus e cheios de alegria. Assim seja.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Papa Francisco a Caminho do Rio de Janeiro

Radio Vaticano - O  Papa Francisco saudou setenta repórteres a bordo do avião em que viaja de Roma para o Rio de Janeiro, para as celebrações da Jornada Mundial da Juventude. 

Numa breve conversa, o Papa disse aos repórteres: - Os jovens pertencem a uma família, ao país, a uma cultura e a uma fé. Representam o futuro de um povo porque eles têm a energia. Os idosos também são o futuro porque são os guardiões da sabedoria de vida, da história, do lar e da família. Um povo não tem futuro se vai em frente sem a força de sua juventude e dos idosos.

O Papa Francisco refletiu sobre a crise econômica global e a possibilidade de gente jovem ficar desempregada. "Corremos o risco de ter uma geração que não encontra trabalho. E do trabalho deriva a dignidade de uma pessoa - da possibilidade de ganhar o pão. Jovens sem emprego também são vítimas da cultura descartável. Do que precisamos hoje é de uma cultura de inclusão, uma cultura do encontro. O Papa Francisco convidou os jornalistas: "Peço a vocês que me ajudem e trabalhem pelo bem da sociedade, dos jovens e dos idosos."

Saudando o papa em nome de todos os jornalistas, Valentina Alazraki, correspondente na Italia para a rede Mexicana Televisa, deu-lhe uma pequena estátua da Virgem de Guadalupe, "não apenas a Rainha do Mexico,” disse a jornalista, “mas a Padroeira de toda a America.”



terça-feira, 9 de julho de 2013

JMJ2013: Rio de Janeiro Mais Maravilhoso

Dicas de Passeios no Rio

foto de Sophia D.
Cada carioca terá sua lista de lugares imperdíveis no Rio. São tantos! Pensando nos peregrinos da Jornada Mundial da Juventude 2013, selecionei abaixo alguns dos meus locais favoritos, adicionando sugestões de outros apaixonados pela cidade.

1 - Estátua do Cristo Redentor, no morro do Corcovado
"Ser carioca é procurar o Cristo em cada janela." Li essa frase numa crônica de Arthur Dapieve alguns anos atrás e me encantei por traduzir perfeitamente o que me ia na alma. Em cada janela procuramos o Redentor! E ele nos abençoa, abraça, ouve, anima nos piores momentos e sorri com nossa alegria. A acolhedora estátua de 710 metros é o verdadeiro símbolo da cidade, um amigo sincero dos que aqui vivem e por aqui passam.

foto de Stella D.
Os intrépidos que desejarem subir o morro do Corcovado a pé, pelas trilhas, ou nas vans oficiais (que saem das Paineiras e do Largo do Machado), também devem comprar ANTES os ingressos para a visita ao monumento, seja pela internet ou nos postos de venda (Quiosques da Riotur: em Copacabana, em frente ao Hotel Copacabana Palace, e no Centro, rua da Candelária nº 9). Mais detalhes clicando aqui.

Mas a melhor maneira de visitar a estátua do Cristo Redentor é fazer a viagem de 20 minutos no trenzinho do Corcovado.
Endereço da Estação:  Rua Cosme Velho, 513
Horário de funcionamento: 8 às 19hs
Valor do ingresso: R$ 48,00 para adultos e R$ 24,00 para portadores de necessidades especiais, para crianças de 6 até 12 anos, para os cariocas menores de 21 e todos os maiores de 60 anos. A entrada é grátis para menores de 6 anos. Maiores detalhes no blog Viaje na Viagem.

Já que está no Cosme Velho, aproveite para visitar:
Museu Internacional de Arte Naif (3ª a 6ª de 10 às 18hs - sáb, dom, feriados, de 10 às 17hs)
* Igreja de São Judas Tadeu  - missas diárias:
De segunda-feira a sexta-feira: 7:30 h, 9h e 18h;
Sábado: 7:30h, 9:00h e 17h;
Domingo: 7h, 8h, 10h, 12h (missa em inglês) e 18h;
Dia 28 de cada mês: 7h, 8:30h, 10h, 12h, 15h, 16:30h e 18:30h

* Supermercado Imperial - além de mercado, o Imperial é uma ótima padaria, produzindo saborosos pães de queijo, de batata, bolos de pamonha e aipim, além de variadas guloseimas que atraem os moradores e os alunos dos colégios São Vicente e Sion. A baguete de provolone é tão boa que nem precisa de recheio. E ainda há uma tentadora geladeira repleta de sorvetes Häagen-Dazs. O Imperial fica na Rua Cosme Velho, 174 - loja D. Telefone: 2205-0101. O mercado abre de 2ª feira a sábado, de 6 às 21:40h. Nos domingos o horário é de 7 às 20:40hs. Entregas a domicílio.

Paroquia do Cristo Redentor
Já em Laranjeiras, passe em frente à Paróquia do Cristo Redentor (Missas: de segunda a sábado, às 8h e 18h - Domingo: 9h, 11h, 18h e 20h) e dobre na esquina da Rua General Glicério. Avançando na rua, na segunda transversal à direita, encontram-se sorvetes deliciosos, vendidos no Maya Café (início da Rua Ortiz Monteiro, 15B - tel: 2205-4950 | 3172-5125 | 3471-5438). Se você der sorte, pode até conseguir uma mesa para descansar as pernas e pesquisar outras delícias do menu. O café só fecha nas segundas-feiras.

Aos sábados, pode-se conhecer a alegre Feira da General Glicério. Além da exposição de frutas e legumes, há um artesanato diversificado e uma barraquinha que vende apetitosos bijus de tapioca recheados, além da goma hidratada, para preparar a guloseima em casa. Não tem glúten! Por volta do meio-dia, é hora de música na pracinha, com o grupo Pixin Bodega e convidados. Quando bater a fome, experimente o pastel do Bigode, com um caldo de cana ou água de côco. A Feira da General ocupa toda a rua Ortiz Monteiro. Quem entende da feira da GG é a Carol, da página Destemperados/RJ! Aliás, o blog tem ótimas dicas para cariocas e visitantes.

bondinho do Pão de Açucar
2 - Passeio no Bondinho do Pão de Açúcar - Urca
A viagem no teleférico envidraçado é feita em duas etapas e a paisagem vista lá de cima vale o ingresso.
Endereço da Estação: Avenida Pasteur 520.
Telefone: 2546-8400
Horário: 8 às 19h50
Ingressos: R$ 53,00 e R$ 23,00

Pista Claudio Coutinho
Mais atrações da Urca
* Pista Claudio Coutinho - um caminho arborizado, margeando a praia da Urca. Praça General Tiburcio, Urca - Visitação: 6 às 18hs.
* Bar Urca - bobó de camarão, empadas, pastel e cerveja (Rua Cândido Gaffré 205). É só pegar o ônibus 107 em Botafogo e saltar no último ponto. Fica na entrada do Forte São João.
* Sorvete Brasil - Tem sorvete de Figo com Nozes, Fruta do Conde, Tapioca e muito mais! Na Urca a lojinha fica na Avenida Pasteur 520, Térreo - na estação do bondinho.
* Milho verde - dos mais saborosos, vendido na barraquinha perto da rua Ramón Franco.

Praia de Ipanema (wikipedia)
3 - Praias
* Ipanema - Avenida Vieira Souto
* Arpoador - para passear, admirar os surfistas e aplaudir o por-do-sol. É uma continuação da Praia de Ipanema.
* Leblon - no metro quadrado mais valorizado do Rio, o Leblon apresenta um mix imbatível de lojas e restaurantes. No final do bairro começa a avenida Niemeyer e há um mirante de onde se tem uma vista privilegiada da praia.
* Prainha - "A Prainha é um santuário ainda preservado, tem aproximadamente 150 metros de extensão, areias claras, e águas cristalinas próprias para o banho. Localizada depois da Praia da Macumba, separada por um morro, o acesso é feito de carro". (Guia das Praias) Por suas ondas fortes, é a favorita dos surfistas.


4 - Igrejas
* Mosteiro de São Bento (1633/1671) - Aos domingos há missa com canto gregoriano às 10 hs. Como é muito concorrida, é melhor chegar com 30 minutos de antecedência. Fica na Rua do Gerardo, 68 (entrada para pedestres pelo elevador no nº 40) 
* São Francisco da Penitência (1657/1772) - entrada pelo elevador ou escada a partir do Largo da Carioca - Centro.
* Nossa Senhora da Candelária (1775/1898) - Praça Pio X - Centro.
* Nossa Senhora da Glória do Outeiro (1714/1739) - "em formato octogonal, é revestida por painéis de azulejos setecentistas" (Guia Quatro Rodas). Praça Nossa Senhora da Glória, 135 - Gloria.

Exposição Herança do Sagrado (foto msn)
5 - Museus
* Nacional de Belas Artes - Integrando o circuito de exibições da Jornada Mundial da Juventude Rio2013, o museu apresenta a mostra "A Herança do Sagrado", com 105 obras-primas do Vaticano e dos Museus Italianos. A exposição fica no MNBA até o dia 13 de outubro, que ficará aberto de terça a domingo, das 9 às 21hs. Entre 17 e 21 horas, parece que a entrada é gratuita. Avenida Rio Branco, 199 - Centro.
* Nacional - acervo egípcio, herança de Dom Pedro I, coleção greco-romana da Imperatriz Teresa Cristina, e mais 9 mil peças das áreas de geologia,zoologia e etnologia. Quinta da Boa Vista, São Cristovão.
* Arte Moderna (MAM) - acervo de 6 mil obras da coleção de Gilberto Chateaubriand. Os jardins foram projetados por Burle Marx. Avenida Infante Dom Henrique 85, Parque do Flamengo.
Museu de Arte do Rio - inaugurado em março de 2013, o MAR tem em seu projeto arquitetônico a sua principal atração. São dois prédios de estilos heterogêneos que parecem ligados por uma onda. Fica na Praça Mauá, 5, Centro CEP 20081-240. Funciona de terça a domingo, de 10 às 17hs. Na terça é gratuito.

Instituto Moreira Salles
6 - Espaços Culturais
* Centro Cultural Banco do Brasil - exposições temporárias, cinema, teatro, livraria, biblioteca, loja, salão de chá e restaurante. Rua Primeiro de Março, 66 - Centro.
* Instituto Moreira Salles - o centro cultural fundado por Walther Moreira Salles desenvolve projetos nas áreas de fotografia, literatura, biblioteca, artes plásticas e musica brasileira. A bela sede da Gávea foi residência da família Moreira Salles e cenário do filme Santiago (2007), de João Moreira Salles.
* Teatro Municipal (1909) - o imponente edifício da Cinelândia foi inspirado na Ópera de Paris. O teatro fez uma parceria com a Accademia Scala de Milão para criar uma escola de formação técnica de excelência, uma verdadeira Fábrica de Espetáculos. A entrada do teatro fica na Praça Floriano e a bilheteria está na rua Evaristo da Veiga.
* Real Gabinete Portugues de Leitura (1887) - bela construção em estilo manuelino na rua Luis de Camões, 30 - Centro.
* Paço Imperial - edifício colonial do século XVIII. Praça XV de Novembro, 48.
* Casa Daros - cultura latino americana. Aberta de quarta a domingo. Fica na Rua General Severiano,159 Botafogo.

Chafariz do Jardim Botânico
7 - Passeios imperdíveis
* Jardim Botânico - um dos lugares mais agradáveis da cidade, o JB foi criado por Dom João VI em 1808. O arboreto reúne 9 mil espécies de flores e plantas do Brasil e do mundo: palmeiras imperiais da época da fundação, orquidário, lago com vitorias-régias, bromeliario, uma estufa de plantas insetívoras, um jardim japonês e um jardim bíblico. Mais de 50 tipos de aves e outros animais se espalham pelo jardim e encantam os visitantes. Leve a máquina! Há três espaços dentro do parque onde se pode comer: Os mais procurados são o La Biciclète e o Café Botânica. No momento o JB abriga a belíssima exposição de fotos "Genesis", de Sebastião Salgado. Rua Jardim Botânico, 705
* Lagoa Rodrigo de Freitas - a lagoa de águas salgadas é um dos mais belos cartões postais do Rio. Nas suas margens há uma ciclovia de 7,5 km e vários quiosques vendendo comida.
* Parque Nacional da Tijuca - maior reserva natural urbana do país, divide-se em quatro núcleos: Floresta da Tijuca, Serra da Carioca, Pedra da Gávea/Pedra Bonita e Pretos Forros/Covanca.
* Sítio Burle Marx - reúne uma das mais importantes coleções de plantas vivas do mundo, pela diversidade de espécies preservadas. Estrada Roberto Burle Marx, 2019, Barra de Guaratiba Rio de Janeiro, CEP 23020-240 Telefone: 2410-1412
* Centro de Tradições Nordestinas (Feira de São Cristovão) - A nova versão da feira conta com 694 barracas, dois palcos para shows e uma praça de repentistas. Começa na sexta e e só acaba no domingo. Pavilhão de São Cristovão, Bairro de São Cristovão, CEP 20.291-440.

8 - Comes e Bebes
* Bibi Sucos - a loja de sucos e sanduíches que é a cara do Rio. Tem unidades no Rio Sul, Leblon, Copacabana, Jardim Botânico, Norte Shopping, Barra Shopping, Shopping Leblon.
* Polis Sucos - a primeira loja foi na Maria Quitéria nº 70, onde ainda se come um sanduíche de filé com queijo e um suco de fruta-do-conde de primeira.
* Cobal Botafogo - além dos boxes que vendem frutas e legumes, a Cobal conta com variados bares, cafés e restaurantes.
* Bar do Adão - Rua Conde Bernadotte 26, Leblon. Há outras unidades na Lapa, Copacabana, Barra da Tijuca, Freguesia, Grajaú, Tijuca, Botafogo.
* Mais dicas de onde comer estão no site Guia do Rio.

Rio Sul (timeout)
9 - Shoppings
* Rio Sul - lojas, restaurantes e cinema. Rua Lauro Müller, Rio de Janeiro, 22290-160 - Botafogo - Telefone: 3527-7256
* Botafogo Praia Shopping - lojas, restaurantes e cinemas. Praia de Botafogo, 400 cep 22250-040 -Telefone: 3171-9872
* Shopping da Gavea - lojas, restaurantes, cinemas, teatro, livraria infantil Malasartes (3º andar). Rua Marquês de São Vicente, 52 - Gávea/RJ CEP: 22451-040 Telefone: 2294-1096.

Museu Imperial (Petrópolis)
10 - Arredores
* Petropolis - a "cidade de Pedro", o segundo imperador do Brasil, está a 68 km do Rio e pode ser visitada em um dia. Vale a pena subir a serra.
* Armação de Buzios - era uma aldeia de pescadores e transformou-se numa cidade sofisticada, distante 176 km do Rio. O inverno é uma boa época para visitá-la, pois há menos turistas.
* Paraty - cidade fundada no século XVI, que está a 252 km do Rio de Janeiro. Passear pelas suas praias ou pelo centro histórico, é uma das melhores maneiras de relaxar e revigorar o espírito.

Igreja de Santa Rita, em Paraty

11 - Transporte
* Vá de Ônibus - site onde se pode fazer a busca das linhas de ônibus do Rio. Existem versões em espanhol e inglês.
* Metrô - o metrô do Rio já está vendendo cartões para a Acolhida e Via Sacra, os dois eventos com a presença o Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude 2013.
* Táxis - Taxibeat e Easytaxi podem ser acionadas pelo computador ou aplicativos do celular.
Há outras boas opções de cooperativas tradicionais:
Pontual: 2520-7696, 3294-6650
JB: 2501-3026, 2178-4000 (página em construção)
Classic: 2125-3939
Libertaxi: 2583-9650, 2105-0500, 0800-942-5533 (atendimento 24 horas)
Santaxi: 2502-1111
Mourisco Botafogo: 2246-3704
Transcoopass: os radiotáxis vermelhinhos são mais caros, mas altamente confiáveis quanto à pontualidade: 2209-1555, 2209-1565, 8112-8185, 8112-8140 (atendimento 24 horas)

cartões do Metrô para a JMJ2013
A Arquidiocese do Rio de Janeiro preparou uma página com informações completas para os peregrinos. Para chegar lá, clique aqui!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Forca

Fim do Silêncio ou Grito Silencioso

Mais Vida