terça-feira, 30 de abril de 2013

Teatro Municipal faz parceria com Accademia Scala de Milão

Theatro Municipal do Rio de Janeiro faz parceria com a Accademia Scala de Milão

Especialmente quando os noticiários estão cheios de notícias sobre crises e violências, sentimos falta das notícias boas. Por isso, foi com imenso prazer que soube de uma iniciativa que preserva e desenvolve o patrimônio cultural do Rio de Janeiro. Já dava para notar a restauração externa no Theatro Municipal, pois é visível o novo brilho da reluzente águia dourada de asas abertas no telhado da casa de espetáculo. 

O próximo passo na sua recuperação visa o aprimoramento dos artesãos do teatro. Foi feita uma parceria com a Accademia Scala de Milão, uma escola de formação técnica de excelência. Serão oferecidos cursos básicos de Cenotécnica, Adereços, Cabelo e Maquiagem, Eletricista Cênico, Sonorização, Fotografia, Vídeo e Edição, Costura, Contra-regragem e Camarim. Nos níveis mais avançados haverá Chapelaria e Direção de Cena, entre outros. Os detalhes sobre essa Fábrica de Espetáculos podem ser lidos no release do site do Teatro. Está dando ótimo frutos a gestão de Carla Camuratti!



quinta-feira, 18 de abril de 2013

Nós e V contra a PEC da Corrupção

Vejam e repassem o vídeo do Youtube que alerta contra a PEC 37, a PEC da Corrupção.

sábado, 13 de abril de 2013

O Grito Silencioso

The Silent Scream

Dr. Bernard Nathanson (lifeknews)
Neste vídeo, o Dr. Bernard Nathanson explica porque deixou de ser o "Rei do Aborto" e passou a defender a vida. Responsável por 75 mil "interrupções da gravidez" durante a década de 70, o ex-aborteiro engajou-se em campanhas pro-vida depois de ter assistido a filmagem de uma ultrassonografia, feita durante o aborto de uma criança de 12 semanas. Cuidado, as cenas são fortes, mas precisam ser encaradas, pois neste momento há médicos brasileiros interessados em criar aqui a industria do aborto. Nos EUA, cada aborto custa de 300 a 400 dólares e 90% deste dinheiro vai para o bolso dos doutores.

Dr. Bernard Nathanson faleceu em 11 de fevereiro de 2011, aos 84 anos. Depois de favorecer o aborto de tantos bebês, inclusive de um filho seu, o médico passou a defender a vida humana desde a concepção. Quem desejar entender como surgiu a política do aborto nos Estados Unidos, deve ler o livro de sua autoria:  "The Hand of God: A Journey from Death to Life by the Abortion Doctor Who Changed His Mind". (Catholic Maine)

As crianças não são as únicas vítimas. Grande número de mulheres teve o útero perfurado durante essas operações, mas isso não é divulgado. Os conspiradores da indústria do aborto não informam o que realmente acontece. Aqui a mídia engajou-se numa campanha que apresenta o aborto como progresso. Ora, em Esparta, muitos anos antes de Cristo, já se jogavam os bebês indesejados morro abaixo. Veja e divulgue "O Grito Silencioso", apresentado pelo ex-diretor da maior clínica de aborto dos Estados Unidos. Vamos impedir que esse genocídio também aconteça no Brasil.



http://youtu.be/0heNeYmaCSc
Mais informação no blog do Padre Paulo Ricardo

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Jack Nicholson defende a vida

por Cleiton Robson (do blog Projeções de Fé)
Fonte: Religión en Libertad | Tradução: Ecclesia Una

moviesdb
O mítico e influente ator de Hollywood, Jack Nicholson, decidiu entrar de vez no debate sobre o aborto. E de modo contundente, para surpresa de muitos. O ator se declarou a favor da vida e não recuou em contar a história do motivo pelo qual decidiu defender a vida do nascituro. 

Em declarações a diferentes meios dos Estados Unidos, Nicholson contou que sua mãe lhe concebeu quando ainda era uma adolescente. Ela recebeu numerosas pressões para que abortasse; contudo, decidiu seguir em frente e dar à luz o bebê, que mais tarde se chamaria Jack.

Por tudo isso, Nicholson confirmou que está decididamente contra o aborto e que, além disso, não poderia assumir outra postura, porque seria “hipócrita”, já que, se sua mãe tivesse aceitado o aborto, “estaria morto, não existiria”.

“Minha única emoção é a gratidão”

De fato, nascido em 1936, Nicholson cresceu crendo que sua avó era sua mãe, e considerava como sua irmã aquela que, na realidade, era sua mãe. O ator descobriu toda a verdade só em 1974.

Neste sentido, o premiado ator disse que “sou contrário a meu distrito eleitoral no tema do aborto, porque estou positivamente em sentido contrário. Não tenho direito a qualquer outro ponto de vista. Minha única emoção é gratidão, literalmente, por minha vida”.

A história de Andrea Bocelli

Mas Jack Nicholson não é o único personagem que está se manifestando contrário ao crime do aborto. Em um vídeo difundido no YouTube, o tenor italiano Andrea Bocelli revelou a história de seu nascimento e elogiou sua mãe por não abortá-lo, depois de saber que nasceria com uma deficiência.

No vídeo, intitulado “Andrea Bocelli conta uma ‘pequena história’ sobre o aborto”, o tenor contou que sua mãe grávida foi hospitalizada por “um simples ataque de apendicite”, mas os médicos, ao terminar os tratamentos, sugeriram-lhe o aborto porque “o bebê nasceria com alguma deficiência”.

“Esta valente jovem esposa decidiu não abortar, e o menino nasceu. Essa mulher era minha mãe, e eu era a criança. Talvez eu seja suspeito para falar, mas posso dizer que a decisão foi correta”, assegurou Bocelli, que sofre de glaucoma congênito e perdeu a visão aos 12 anos, por um golpe na cabeça, jogando futebol.

A persistência de Caviezel

Jim Caviezel, ator católico que interpretou Jesus em “A Paixão de Cristo”, assegurou ao Catholic Digest, em 2009, que “não amo minha carreira a ponto de dizer que ‘vou me silenciar sobre isto’”, referindo-se ao aborto. “Estou defendendo cada bebê que ainda não nasceu”, assinalou.

O músico adolescente Justin Bieber também manifestou sua resistência ao aborto. Em uma entrevista à revista Rolling Stone, Bieber assegurou que “realmente não creio no aborto”, pois “é matar um bebê”.

A mãe de Justin Bieber, Pattie Mallette, também se comprometeu recentemente com a causa pró-vida ao produzir o curta-metragem “Crescendo”, contra o aborto e a favor da vida. Pattie teve uma adolescência difícil, envolvida no mundo das drogas e do álcool, e tentou suicídio aos 17 anos, antes de converter-se ao cristianismo.

Com seu curta-metragem, disse, busca dar alento às “jovens mulheres de todo o mundo, como eu, para que saibam que têm um lugar para onde ir, pessoas que vão lhes cuidar e um lugar seguro onde viver se engravidam e creem que não há para onde ir”.

Concebida após um estupro

O ator católico veterano Martin Sheen também tem expressado repetidamente sua oposição ao aborto. Em uma entrevista em 2011, Sheen admitiu também que sua esposa, Janet, foi concebida em um estupro, pelo que, assinalou, se sua mãe tivesse abortado ou a jogado em um rio, como chegou a pensar, ele não a teria conhecido.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Forca

Fim do Silêncio ou Grito Silencioso

Mais Vida